Campanha acirrada para reitor

7 de junho de 2014 -
A Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFBA: disputa pela reitoria teve quatro  candidatos

A Faculdade de
Filosofia e Ciências Humanas da UFBA: disputa pela reitoria teve quatro candidatos

Foi acirrada a campanha para a reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA).  Ao contrário do que aconteceu há quatro anos, quando era possível vislumbrar com antecedência a eleição da atual reitora Dora Leal Rosa, a disputa agora transcorreu sem grandes favoritos e envolveu pela primeira vez quatro candidatos.

Dois deles apresentaram, entre outras credenciais, o apoio da atual reitora. São eles o vice-reitor Luiz Rogério Bastos Leal, professor do Instituto de Geociências, e o pró-reitor de Administração Dirceu Martins, professor do Departamento de Química Orgânica do Instituto de Química.

Os outros dois candidatos apresentaram plataformas de oposição ou de independência em relação à gestão atual: os professores João Carlos Salles, do Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, e Nelson de Luca Pretto, da Faculdade de Educação.

A campanha ganhou a internet, com a lançamento no canal YouTube de vídeos com plataformas de candidatos e com manifestações de apoio. O candidato João Carlos Salles, por exemplo, recebeu o apoio de Marilena Chauí, professora de filosofia da Universidade de São Paulo (USP), e do compositor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil.

Já Nelson Pretto produziu um vídeo com uma entrevista, no qual apresentou suas ideias para a UFBA. Debates com a presença dos candidatos também animaram a campanha. A  votação, programada para os dias 20 e 21 de maio, é uma consulta organizada pelo Diretório Central dos Estudantes e por sindicatos de professores e funcionários e servirá como referência para os conselhos Universitário e Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão, aos quais cabe formar uma lista tríplice a ser encaminhada ao Ministério da Educação.

O escolhido vai liderar uma comunidade acadêmica composta por cerca de 40 mil estudantes, 2,3 mil professores e 3 mil funcionários e gerenciar um orçamento anual superior a R$ 1 bilhão.

Deixe uma resposta