Aviação e pensamento

28 de agosto de 2014 -
"Os Espacialistas" - Luis Maria Baptista

“Os Espacialistas” – Luis Maria Baptista

1. Ludwig Wittgenstein em 1908, com 19 anos,
queria construir um aeroplano. Estudava engenharia.
Bertrand Russell, que o recebe na universidade de Cambridge, escreve sobre o jovem Wittgenstein (tratava-o por “o meu alemão”), que ainda não conhecia bem, e diz: “O meu alemão vacila entre a filosofia e a aviação”.

2. Um filósofo passar a sua juventude a querer construir um volume que suspenda por momentos, minutos, horas – a força da gravidade.

3. Pensar de certa maneira é isto: planar dois metros, cem metros, acima do que está a acontecer neste momento; mil metros, digamos assim, acima
do presente. Pensar de forma concentrada é não ver
o que está à frente, é ver outra coisa. E ter um
projecto na cabeça é sempre construir mentalmente,
mesmo que simbolicamente, um aeroplano.
Quem não quiser construir um aeroplano que não entre nesta sala! – eis o que a ciência poderia exclamar.

"Os Espacialistas" - Luis Maria Baptista

“Os Espacialistas” – Luis Maria Baptista

4. Pensar, pois, numa escola de artistas e cientistas
que recusa a entrada a qualquer elemento da multidão conhecida como “a multidão daqueles que nunca quiseram construir um aeroplano”.
Dividir, portanto, a espécie humana em:
a. seres vivos que um dia pensaram em construir sozinhos um aeroplano.
b. seres vivos que nunca na vida pensaram em construir um aeroplano.

5. Uma questão ainda: como se desenha um aeroplano? A mão que desenha um aeroplano move-se milimetricamente, move-se quase em imobilidade por cima do papel exactamente da mesma maneira que se move aquela outra mão que em vez de desenhar um aeroplano desenha um carro? Eis uma pergunta.

6. Interessante também pensar na questão do peso.
Um aeroplano, mesmo que com igual número de quilogramas (kg) de um automóvel, pesa sempre menos. Sem dúvida alguma.
O que voa não pesa o seu peso; o seu peso não vem
em gramas, mas em expectativa e algum espanto; metade espanto, metade expectativa.

7. Ciência que apenas pesa o seu peso versus ciência que tem peso e expectativa. Duas ciências. Quem deixar de querer construir um aeroplano deixou de ser cientista.

Gonçalo M. Tavares é escritor, português, autor de Imagens dos Espacialistas, entre outras obras

Deixe uma resposta