É tempo de tirar ideias da cabeça

28 de agosto de 2014 -

Autores de propostas inovadoras e com potencial empreendedor têm 10 dias para inscrevê-as em concurso 

Na quinta feira da próxima semana, 4 de setembro, encerram-se as inscrições para o Concurso Ideias Inovadoras 2014, promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). O concurso busca disseminar o empreendedorismo e incentivar o desenvolvimento de ideias inovadoras em múltiplos campos.

Desta vez, as inscrições podem ser feitas em sete categorias: Estudantes de Ensino Médio ou Ensino Profissional Técnico de Nível Médio, Graduandos, Pós Graduandos Lato Sensu e Stricto Sensu, Pesquisadores, Graduados Independentes, Inventores Independentes e Inventores da Economia Criativa. A novidade neste ano é justamente a criação desta última categoria.

“A inclusão da categoria Inventores da Economia Criativa é um passo importante”, porque o concurso passa a compreender, no âmbito das ideias inovadoras e do empreendedorismo movido por elas, “a inventividade nos setores de patrimônio, expressões culturais, espetáculos artísticos, literatura, audiovisual, moda, design e publicidade”, diz a diretora de Economia da Cultura da SecultBA, Carmen Lima.

Já Vivian Costa Alves, da Diretoria de Inovação da Fapesb e diretamente envolvida com a organização do concurso, destaca a importância dessa iniciativa para que “potenciais empreendedores tenham um espaço para expor e mostrar suas ideias, resultado de sua inventividade e educação”. Em sua visão, movimentos no sentido da exposição de ideias, principalmente de jovens estudantes, são fundamentais para quebrar fronteiras e fazer surgir o novo. A respeito da inclusão da categoria “Inventores da Economia Criativa” no concurso, Vivian comenta que nada é mais pertinente em relação à Bahia. “Teatro, dança, música, as várias expressões artísticas, estão completamente inseridas na identidade deste estado. Então, trata-se de incentivar o empreendedorismo movido por ideias inovadoras naquilo que é da nossa alma.”

Três projetos, como de praxe, serão premiados em cada categoria: o 1º lugar receberá R$ 15 mil e consultoria da Vilage Marcas e Patentes, empresa que apoia o concurso; para o 2º, o valor será de R$ 10 mil; já o 3º lugar será premiado com R$ 5 mil.

As propostas podem envolver aspectos técnicos (como o emprego de materiais alternativos ou formas mais baratas de produção), de gestão ou produção (ferramentas administrativas ou de apoio à produção),ou de distribuição (novas plataformas e estruturas de acesso à produção cultural), entre outros. Para a escolha dos melhores projetos, serão considerados critérios como originalidade, aplicação, impactos da inovação, mercado potencial, perfil do empreendedor ou da equipe.

No concurso 2013, 12 candidatos foram premiados, o que significa que nem todos os lugares das seis categorias tiveram ganhadores e, além disso, houve quem ganhasse dois prêmios. A cerimônia de premiação no Hotel Fiesta, em 10 de junho passado, foi alto astral e bem prestigiada. Lá estiveram o governador Jacques Wagner, secretários de estado, reitores das universidades baianas, dirigentes de instituições empresariais e da Academia de Ciências da Bahia, o que dá, segundo Roberto Paulo Lopes, o anfitrião da festa e diretor-geral da Fapesb, uma medida do peso que o concurso vem conquistando como símbolo do esforço pela criação de um ambiente favorável na Bahia à inovação baseada em conhecimento e à capacidade de empreender.

O edital completo está disponível no link: www.fapesb.ba.gov.br/?page_id=15942.

Fotos Fapesb

Os vencedores do Concurso Ideias Inovadoras 2013

Categoria

Estudante de ensino médio ou ensino profissional técnico de nível médio

lucas oliveira carvalho1º lugar

Lucas Oliveira Carvalho

Senai

Projeto: Sistema de sinalização

e coleta de dados de ônibus

O estudande do Senai propôs um sistema automatizado de coleta de dados pa-ra ajudar o usuário de transporte coletivo a escolher o ônibus que vai tomar. O sistema é capaz de sinalizar ao passageiro, por meio de luzes com cores e significados distintos, como se encontra a lotação do ônibus – se há lugar para sentar ou se é possível ficar de pé com um mínimo de conforto, por exemplo. Isso permite que o usuário saiba a  distância as condições do ônibus e decida se vai solicitar ou não a parada. Outra vocação do sistema é formar um banco de dados com informações sobre o fluxo de passageiros transportados para ajudar a remanejar ônibus cujas linhas são pouco utilizadas em determinados horários para trajetos mais requisitados.

joao marcelo rocha2° lugar

João Marcelo Ramos da Rocha

Instituto Federal de Educação,
Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA)

Projeto: Planta didática de baixo custo

O estudante desenvolveu uma planta didática – plataforma utilizada para desenvolver soluções para pro-ble-mas reais da indústria em sala de aula – a fim de facilitar o trabalho de professores e estudantes em cursos técnicos e de engenharias. A planta permite o estudo de técnicas avançadas de controle e operação industrial e busca enfrentar dois entraves do ensino tecnológico do país, que são a falta de material didátido e os custos elevados desse tipo de plataforma. Utiliza o protocolo de comunicação de dados Modbus, usado  largamente em sistemas de automação industrial. O processador de dados adotado, denominado Arduino, é reconhecido por permitir o desenvolvimento de controle de sistemas interativos, de baixo custo e acessível a todos.

3° lugar

João Marcelo Ramos da Rocha

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia
da Bahia (IFBA)

Projeto: Monitorador de berço

O equipamento, de uso residencial e hospitalar, utiliza comunicação por redes sem fio para monitorar o bebê enquanto está no berço e garantir que ele não corra riscos. Com sensores de umidade e temperatura, entre outros, o equipamento fornece dados sobre o estado do bebê. Em caso de alguma anormalidade nos parâmetros esperados, o aparelho envia uma comunicação por dispositivo Bluetooth e emite um sinal de som ou luz num ponto da residência para avisar que há algo errado ocorrendo naquele momento. Os dados sobre o estado do bebê também podem ser acompanhados em tempo real numa tela LCD instalada no equipamento. No caso de hospitais, o equipamento seria ligado a um sistema gerenciador.

 

Categoria

Graduandos

MATHEUS LADEIRA COELHO1° lugar

Matheus Ladeia Coelho

Escola de Engenharia e Tecnologia
da Informação

Projeto: Dr. Farm

A ferramenta desenvolvida pelo estudante de engenharia mecatrônica busca auxiliar agrônomos e engenheiros florestais no monitoramento de propriedades rurais. O Dr. Farm coleta dados como temperatura, umidade do solo, índice de radiação solar, vento e fertilidade do solo. Com esse conjunto de informações, detecta de forma rápida pragas e enfermidades e propicia uma resposta pronta para resolver os problemas, reduzindo custos e o impacto das medidas. O sistema pode receber informações georeferenciadas na forma de fotos, vídeos e textos e ser acessado pelo dono da fazenda através de um aplicativo de telefone móvel. Matheus teve a ideia de criar o sistema para monitorar pragas na plantação de café de sua família no município baiano de Vitória da Conquista.

 

NEWTON ARAÚJO2° lugar

Newton Araújo
Guimarães Filho

UNIFACS

Projeto: Desenvolvimento de um aplicativo móvel para otimização de sistema de delivery de pizzas – Pizzap

Um aplicativo desenvolvido pelo estudante, denominado Pizzap, pode ser executado em dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Por meio do programa, o consumidor tem acesso a dados das pizzarias disponíveis, sem precisar entrar em contato com o call center de cada estabelecimento. O dispositivo permite a visualização dos cardápios e também a realização de pedidos. O usuário pode selecionar a pizzaria segundo vários critérios. Um sistema de mapas, por exemplo, indica quais são as mais próximas. Notas atribuídas pelos clientes ao final de cada pedido apontam as de melhor reputação. Ao mesmo tempo que reduz o tráfego de pedidos por telefone e ajuda o cliente a escolher, o aplicativo permite a inclusão do segmento de fast-food à tecnologia de dispositivos móveis.

 

ALAN RICARDO3° lugar

Alan Ricardo dos Santos Costa

Universidade Federal da Bahia

Projeto: Pacemaker de corridas de
atletismo, para amadores e profissionais

O pacemaker eletrônico, desenvolvido pelo estudante de educação física da UFBA e atleta de competições universitárias, é um marcador de ritmo de corrida que orienta o corredor por sinais luminosos, sonoros e vibratórios. O aparelho é indicado para treinamentos específicos na pista de atletismo. Propicia, por exemplo, o aperfeiçoamento estratégico da velocidade, a fim de melhorar o desempenho dos fundistas durante provas. Permite registrar de forma precisa a performance dos atletas durante os treinamentos e ajuda a impor ritmos para facilitar o movimento uniforme, uniformemente variado ou com acelerações e desacelerações, conforme o planejamento do professor de atletismo.

 

Categoria

Pós-Graduando Lato Sensu e Stricto Sensu

RAFAEL FERREIRA LPES1° lugar

Rafael Ferreira Lopes

Universidade Federal da Bahia

Projeto: Sistema de baixo custo de visualização de vasos sanguíneos superficiais

O pesquisador desenvolveu um dispositivo capaz de encontrar vasos sanguíneos não observados a olho nu com a ajuda da câmera de um celular. Uma lanterna dotada de luz infravermelha e a câmera do telefone móvel permitem captar e exibir os vasos internos, gerando uma fotografia de sua localização. Os vasos sanguíneos se revelam porque a pele reflete o infravermelho enquanto o sangue o absorve. O sistema facilita a identificação da veia  antes da retirada de sangue em exames laboratoriais. Frequentemente, várias perfurações precisam ser feitas, principalmente em clínicas neonatais e em pacientes com câncer ou que realizam hemodiálise. Com o dispositivo, a veia é localizada com mais facilidade e se evitam as tentativas e erros na perfuração.

DANILO HANSEN2° lugar

Danilo Hansen Guimarães

Universidade Federal da Bahia

Projeto: Utilização da piaçava baiana na preparação de compósito matriz polimérica feita a partir da glicerina do biodiesel para a fabricação de componentes da construção

A inovação, desenvolvida no Grupo de Energia e Ciência dos Materiais do Instituto de Química da UFBA, utiliza rejeito da fibra de piaçava como reforço estrutural de resinas (matrizes poliméricas), assim como aproveita a glicerina em excesso resultante da produção de biodiesel para a preparação de um novo material polimérico. O resultado é um material compósito, aquele que possui pelo menos dois componentes com propriedades físicas e químicas nitidamente distintas em sua composição. O principal setor produtivo beneficiado é o de transformação de plásticos para fabricação de componentes para construção civil, como ripas, divisórias, telhas e vasos de baixo custo. A intenção é oferecer ao mercado produtos competitivos e com tecnologia e materiais regionais.

Categoria

Pesquisadores

jania betania1° lugar

Jania Betania Alves da Silva

UNIFACS, atual professora da Universidade Federal do Recôncavo
da Bahia

Projeto: Preparação de blendas poliméricas ambientalmente degradáveis reforçadas com nanocristais/nanowhiskers de celulose para produção
de filmes flexíveis por extrusão

A professora e pesquisadora desenvolveu e avaliou a eficácia de uma mistura de polímeros para preparação de materiais ambientalmente degradáveis. A mistura em questão é composta por polímeros biodegradáveis (o amido da mandioca ou amidos de outras fontes) e PBAT (Poli  Butileno Adipato CoTereftalato), além de glicerina purificada ou glicerol, ácidos esteárico e cítrico, e pelo menos um aditivo de reforço como nanocristais/nanowhiskers de celulose. A principal contribuição da pesquisadora se refere ao processo de obtenção dessa mistura, por meio de um aparelho de amassamento chamado extrusora dupla-rosca, que permite a fabricação de produtos como filmes flexíveis a serem utilizados como embalagem de alimentos.

 

antonio bacelar2° lugar

Antônio Carlos Barbosa Bacelar

Senai

Projeto: Cursor removível universal de zíper, com substituição simplificada e executada por qualquer indivíduo

O pesquisador propôs a estrutura de um cursor universal de zíper, que pode ser substituído com rapidez e de forma manual. O objetivo é atender variados modelos e tamanhos existentes de cursores e suprir uma escala significativa de produtos incorporados no mercado, além de atender novas demandas. Quando houver necessidade de substituição do cursor danificado, isso pode ocorrer em qualquer parte do país onde estiver incorporada esta tecnologia. Paralelamente, mantém baixo custo no processo de fabricação, permitindo que o cursor de zíper seja facilmente manufaturado conforme os requisitos da Associação Brasileira de Normas Técnicas.

 

rozimar de campos3° lugar

Rozimar de Campos Pereira

Universidade Federal do Recôncavo
da Bahia

Projeto: Isca biológica para controle de formigas cortadeiras

A invenção, objeto de um pedido de patente, consiste numa nova isca biológica para controle de formigas. É produzida à base de resíduos vegetais e utiliza como ingrediente ativo a toxina de um fungo. As formigas cortadeiras estão entre as mais importantes pragas dos reflorestamentos e da agricultura nacional. Mas o uso de iscas formicidas tradicionais, com sulfluramida (classificada como poluente orgânico persistente), passou a ter restrições. O processo para formular a isca inseticida começa com a mistura do resíduo vegetal, alimento que atrai a formiga. A fase seguinte é a de compactação, deixando o material na forma de pequenos cilindros, que logo depois são triturados. Ganham o formato de pequenas lascas, para que as formigas consigam carregá-los. Por fim, recebem uma certa quantidade de toxina, em meio a um solvente orgânico vegetal.

Categoria:

Graduados Independentes

hugo leonardo1° lugar

Hugo Leonardo Dourado

Sem vínculo institucional

Projeto: Transback: transporte motorizado portátil

O inventor criou um equipamento de transporte motorizado e portátil, semelhante a uma patinete, que é acondicionado dentro de uma mochila. Pode ser usado por estudantes em seus deslocamentos dentro de campus universitário, por carteiros em seus itinerários ou por turistas que desejam poupar os esforços de longas caminhadas. Também pode ser utilizado como complemento ao transporte coletivo, nos trajetos entre o ponto de partida e o ponto de ônibus ou estação de metrô, por exemplo. Quando não está sendo utilizado, fica acondicionado dentro de uma mochila, facilmente carregada nas costas do usuário ou pelo chão, com a ajuda de rodinhas. O desenvolvimento do equipamento gerou um pedido de patente em tramitação no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Categoria

Inventores Independentes

antonio jose arruda1° lugar

Antonio José Arruda da Fonseca

Sem vínculo institucional

Projeto: Retroiluminador solar para ambiente movido a energia solar

O equipamento criado pelo pesquisador movimenta automaticamente um espelho (que pode ser plano, côncavo ou convexo). Dois motores corrigem os eixos vertical e horizontal do aparelho e mantêm os raios solares refletidos constantemente num determinado alvo, indepedentemente da posição em que o sol estiver. Pode ser utilizado, por exemplo, para iluminar por reflexão ambientes escuros, co-mo túneis ou garagens subterrâneas. Outra aplicação seria gerar calor para diversos fins, como secagem de sementes em local coberto e desidratação de frutos. Se o espelho for côncavo, a temperatura dos raios refletidos pode se elevar muito, podendo ser usada, por exemplo, para destilação de água. Fonseca criou o equipamento para levar os raios de sol à cama de sua esposa doente. Ela morreu em fevereiro.

 

2° lugar

Antonio José Arruda da Fonseca

Sem vínculo institucional

Projeto:Rastreador solar para placa fotovoltaica autoalimentado

O protótipo refere-se a um aparelho que movimenta automaticamente uma placa solar fotovoltaica ou conjunto de placas através de um motor e mantém os raios solares constantemente incidindo sobre a placa independentemente da posição em que o sol se encontrar. Após a correção feita pelo circuito eletrônico, a incidência solar é constante em 90 graus, aumentando assim, consideravelmente, o rendimento na geração de eletricidade quando se compara com o sistema tradicional de placa estática. O equipamento é autossuficiente: todo o sistema fun-ciona sem a utilização de fonte externa de energia e dispensa o uso de bateria. A eletricidade produzida pela placa fotovoltaica pode ser utilizada em iluminação, bombeamento de água, eletrificação de cercas, sistemas de segurança, entre outros.

Deixe uma resposta