Um achado promissor para regeneração de ossos

23 de janeiro de 2015
ocr-cells-398x398

A recém identificada célula-tronco osteocondroreticular, OCR

E já que falamos ontem de experiências com células-tronco autólogas na regeneração de lesões ósseas e de articulações, vale muito a pena, para aqueles que leem em inglês e têm interesse nas variações do assunto recuperação celular de ossos, dar uma olhada no site da Universidade Columbia e se inteirar de um achado importante e muito interessante de um estudo liderado por pesquisadores daquela instituição, com a participação de um grande time multinacional. Mas, atenção, trata-se de experimentos ainda com camundongos, cujos resultados não podem ser mecanicamente extrapolados para seres humanos, ainda que a equipe acredite que encontrará as mesmas células em ossos humanos.

Feita a ressalva, vamos aos fatos: os pesquisadores identificaram na medula óssea de camundongos adultos uma célula-tronco capaz de regenerar ossos e cartilagens nesses roedores. Chamadas de células-tronco osteocondroreticulares, ou OCR, para facilitar, essas células foram descobertas rastreando-se uma proteína expressada por elas. Usando esse marcador, os cientistas descobriram que as células OCR se autorregeneravam e ainda geravam células chave de ossos e cartilagens, como osteoblastos e condrócitos. Os pesquisadores também mostraram que, quando transplantadas para uma fratura, as células-tronco OCR contribuem para o reparo do osso. No horizonte dessa pesquisa em desenvolvimento há cerca de uma década, está uma terapia inovadora para osteoporose, osteoartrite e fraturas.

Acesse o link direto para a notícia no site da Columbia, com direito a um bom vídeo sobre a descoberta.

Para quem quiser ler o artigo científico inteiro, ele saiu na quarta feira, 21, na edição online da revista Cell.

Deixe uma resposta