Vitória contra o HIV em Cuba

28 de julho de 2015 -

© Alberto-Mendoza/WikimediaBebê em CubaCuba tornou-se o primeiro país do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a erradicar a transmissão da mãe para o bebê da Aids e da sífilis. “Eliminar a transmissão de um vírus é uma das maiores conquistas possíveis em saúde pública”, disse Margaret Chan, diretora-geral da OMS. “Essa é uma grande vitória na nossa longa luta contra o HIV e um passo importante no sentido de ter uma geração livre da Aids”, acrescentou. A cada ano, 1,4 milhão de mulheres portadoras do HIV ficam grávidas no mundo. Sem cuidados, há um risco entre 15% e 45% de que passem o vírus para o bebê durante a gravidez, o parto ou a amamentação. O risco cai para 1% se medicamentos retrovirais forem ministrados para as mães e as crianças nos estágios em que a transmissão pode ocorrer. O número de crianças contaminadas caiu nos últimos anos, de 400 mil em 2009 para 240 mil em 2013. Desde 2010, Cuba oferece às mulheres grávidas cuidados pré-natais, testes de HIV e sífilis (também para seus parceiros), tratamento para as mulheres que testam positivo e seus bebês, partos cirúrgicos e substituição do aleitamento.

Deixe uma resposta