Amigos que se vão, saudades que ficam

28 de agosto de 2014 -

“Tarde na várzea com chuva A João Ubaldo Ribeiro (“Não existe poesia sem infância”, ele disse) A chuva há de passar… De quando em quando, um alarido vem pelo ar, fugidio. Na tarde bruxuleante, além do rio, Teles e Caboclinho estão jogando. Não posso ver; a chuva me atrapalha. Vestindo sedas, clamo aos ares, rogo. Avanço a rua. Minha tia … Leia mais